Que emoção!! Me lembro do meu primeiro bichinho em amigurumi! Era uma água viva. Até hoje carrego ela penduradinha no espelho retrovisor do carro. Já está toda desbotada. Quando eu olho pra ela, vejo um monte de detalhinhos que faria diferente, vários pontos que contei errado ou que ficaram frouxos/apertados demais. E é lindo isso! Olhar pra ela me lembra que para tudo existe um processo. Que a gente está sempre aprendendo e melhorando. Me faz ter orgulho de mim mesma por enfrentar meu perfeccionismo daquela época e seguir aprendendo e acreditando que a cada ponto que fizesse, o próximo seria ainda melhor! 🙂

Espero que você também se veja assim em um processo onde só coisas lindas te esperam. QUALQUER dúvida, QUALQUER dificuldade, pode falar comigo ou com o pessoal lá do grupo de amigurumi que a gente te ajuda, tá? O que não vale é ficar na vontade. Pega a linha e a agulha aí e só bora!

Receita da bolinha do vídeo (em colchetes, temos a quantidade de pontos que tem nosso trabalho ao final daquela carreira):
1ª carr: 6 pb no anel mágico [6]
2ª carr: 2 pb em cada pt (também escrito assim: (1aum) x6 [12]
3ª carr: (1pb, 1aum) x6 [18]
4ª carr: (2pb, 1aum) x6 [24]
5ª carr: (3pb, 1aum) x6 [30]
6ª – 12ª carr: 30pb (ou seja, não aumenta nem diminui.. só vai toda vida, contando as carreiras) [30]
13ª carr: (3pb, 1dim) x6 [24]
14ª carr: (2pb, 1dim) x6 [18]
15ª carr: (1pb, 1dim) x6 [12]
16ª carr: 6dim [6]

FIM 🙂

Leia também: